Spike e Angel
Sobre Vampiros, Almas e Humanidade
 

Spike é o mais novo vampiro com alma do Buffyverse de Joss Whedon. Ele, por livre e espontânea vontade, foi até a África e, numa caverna escura onde um soturno demônio espreitava, lutou e conseguiu ter sua alma restaurada.

A verdade é que Spike, ao contrário de Angelus, sempre demonstrou ser um forte candidato para ingressar no exclusivíssimo clube dos "vampiros com alma" ou até mesmo se tornar humano novamente — senão, vejamos:

No episódio The I in Team, Giles fala para um Spike ainda revoltado por ter sido neutralizado que no fato dele ter sido chipado pode haver uma razão maior:
 

Giles: Pensando sobre seu problema e a sua nova descoberta de que pode lutar contra demônios, ocorreu para mim que isto é completamente contra a sua natureza. Ocorreu para você que pode haver um objetivo maior-

Spike o interrompe.

Em Surprise, o [Juiz], demônio que mata qualquer ser com algum traço de humanidade, percebe que Spike (e Drusilla), mesmo sendo um vampiro, tem traços de humanidade dentro de si:
 

Juiz: Você!
Spike: Ei, ei , ei. O que isto, colega?
Juiz: Vocês dois fedem humanidade. Vocês compartilham afeição e ciúmes.

Em Innocence, vemos o quanto Angelus é diferente de Spike, quando o Juiz toca o vampiro:
 

O Juiz coloca sua mão no peito de Angel:

Spike: Isto dói, não é?
Angelus: Bem, sabe, faz cócegas.
Spike: Não fique parado aí, queime-o.
Angelus: Ei, talvez ele não esteja funcionando.
Spike: Que diabos está acontecendo?
Juiz: Este aqui... não pode ser queimado. Ele está limpo.
Spike: Limpo? Você quer dizer que ele está...
Juiz: Não há humanidade nele.

Spike, após ser chipado, passar a conviver com os Scoobies e, depois que se apaixona por Buffy, quer ser um homem, e sofre quando percebe que não é; ao contrário de Angelus, que não perdoa Buffy por ela tê-lo feito sentir-se humano:
 

-Innocence-

Angelus: Ela (Buffy) fez com que eu me sentisse humano. Não é o tipo de coisa que você possa perdoar.

-The Gift-

Spike: Eu sei que você nunca vai me amar. Eu sei que sou um monstro. Mas você me trata como um homem. E isto...

-Smashed-

Spike: Um homem pode mudar.
Buffy: Você não é um homem. Você é uma coisa.
Spike: Pare de fugir!
Buffy: Não toque em mim!

-Seeing Red-

Spike: Eu experimentei a vida de duas Caça-Vampiros. Mas com Buffy... não era para ser assim. É o chip. Aço, fios e silicone. Não me deixa ser um monstro. E eu não posso ser um homem. Eu não sou nada.

Enquanto Angelus foi amaldiçoado com uma alma (e odeia isto), Spike, após tentar agredir Buffy, toma uma decisão que mudará seu destino para sempre: vai para a África lutar para ter sua alma restaurada — para que Buffy tenha o que merece.
 

Spike: Dê-me o que eu quero. Faça-me o que eu era, assim Buffy vai ter o que merece.

O Caminho da Redenção

Nas primeiras temporadas, Spike era um vampiro cruel, como todos os outros. Deveria ter sido estaqueado por Buffy, mas devido ao talento e aos belos olhos azuis de James Marsters, não foi.

Um dia, ele é capturado pela Iniciativa e tem um chip implantado em seu cérebro. Tal chip o impede de ferir humanos, neutralizando-o como vampiro. Spike então, se sentindo totalmente indefeso, vai procurar sua arqui-inimiga Buffy e os Scoobies e pede proteção a eles em troca de alguns favores. Ele não quer correr o risco de ser morto, pois gosta muito do nosso mundo — de asas de galinha fritas, de futebol, de cerveja e, principalmente, dos "Lanchinhos Felizes Com Pernas". Spike continua sendo um vampiro cruel e perigoso, sem simpatia nenhuma pelos humanos que o receberam ou por qualquer outro na face da terra — ele apenas não pode mais se alimentar diretamente de humanos.

Muito bem, os Scoobies chegam a conclusão que ele está realmente inofensivo e Spike vai morar com Giles, inicialmente, e depois com Xander. Ele passa a conviver com aquela gente e aquela gente tem uma enorme paciência com ele, até mesmo empatia: Giles acha que a implantação do chip pode ter algum significado importante diante da ordem das coisas, Willow o salva de uma tentativa de suicídio, Xander o abriga em sua casa/porão, Buffy faz o favor de não matá-lo.

E assim mesmo o malvado Spike trai a todos, se aliando a Adam num plano maquiavélico.

O tempo passa, e o vampiro, bem ou mal, continua a conviver com Buffy e os Scoobies. Como uma criança, ele começa a prestar atenção no que este pessoal que luta a boa luta faz e sem querer vai absorvendo muita coisa deles. Quando se dá conta, está apaixonado pela Caça-Vampiros, a quem devia odiar e matar.

Se para Buffy e seus amigos o que Spike sente não é real, para ele é, e ele passa a se comportar de uma maneira que seja do agrado de sua amada Buffy. Aos poucos, o vampiro cruel vai dando lugar a um ser que começa a entender a diferença entre o certo e o errado, que começa a se preocupar com um outro ser que não ele mesmo. Primeiro, é com Buffy que ele se preocupa; depois, é com aqueles que Buffy se preocupa e ama, como Dawn, principalmente, e Joyce, mãe das duas garotas. Ele até mesmo leva flores em homenagem a falecida Joyce, pois gostava dela, se *importava* com ela, porque ela o tratava bem.

Spike, preocupado com o sofrimento de Dawn com a perda da mãe, se oferece para ajudá-la no feitiço para trazer Joyce de volta, e não quer que Buffy saiba de nada, pois não está interessado em ganhar pontos perante ela.

E não querer apenas "fazer bonito" diante de Buffy só para conseguir marcar pontos é mais uma vez demonstrado quando o vampiro é sequestrado por Glory e barbaramente torturado para falar quem é a Chave. Spike não quer dizer que Dawn é a Chave e está disposto a morrer pelo segredo — e quase morre mesmo. Talvez se morresse, poderia voltar como o fantasminha camarada e cobrar de Buffy uma recompensa, por ter sido tão valente e bonzinho...

Sua antiga companheira e grande amor, a vampira Dru, reaparece em sua vida e o convida a recordar os velhos e bons tempos de crueldade e matança. Recém-rejeitado por Buffy, ele aceita a proposta e com ela é cúmplice da morte de um casal no Bronze. Dru mata os jovens e Spike bebe o sangue da garota morta. Mas logo ele se dá conta que está cansado deste jogo e rompe definitivamente com a ex-amante.

Para Buffy, ele agradece por ela tratá-lo como "homem"; ele sabe que é um monstro, mas já tem dentro de si a vontade de ser humano, como Buffy, Dawn e seus amigos.

E ele prova isto, quando, ao lado de Buffy e dos Scoobies, ajuda na luta contra Glory, tentando manter a promessa de proteger Dawn até o fim do mundo "nem que o fim do mundo aconteça ser hoje."

Infelizmente, Buffy tem que dar a vida para salvar sua irmã e o mundo, e Spike chora a perda de sua amada e seu fracasso em cumprir a promessa.

Buffy está morta. O que se esperaria do vampiro Spike, a criatura sem alma, agora que seu principal interesse não existe mais? Juntar suas coisas e se mandar. Por que haveria ele de querer agüentar aqueles Scoobies chatos e a irmãzinha chorona da Caça-Vampiros? 

Contudo, ao invés de ir embora, Spike fica, lutando a boa luta ao lado de Willow, Xander, Giles e Tara, e ainda bancando a babá para Dawn de vez em quando. E certificando-se que a menina não vai mais ser ferida, como foi com a perda da irmã. 

Enquanto conta os dias sem Buffy, Spike patrulha com os Scoobies, por livre e espontânea vontade, sem nenhum interesse, até mesmo construindo com Giles, por exemplo, uma camaradagem comum aos amigos.

Quando Sunnydale é atacada pelos demônios motociclistas e a cidade está um caos, a principal preocupação de Spike é proteger Dawn. Ele a acalma, dando-lhe a segurança necessária, como um pai faria com sua filha. Quando vai pegar armas no baú para se defenderem, esquece que é um vampiro e pega numa cruz, queimando a mão.

Quando Buffy volta da morte, Spike não pode estar mais feliz, mas ao mesmo tempo se preocupa com as conseqüências que o uso de magia negra pode ter causado.

A ironia é que, com a volta de Buffy, Spike é isolado pelos Scoobies, principalmente por Xander, que parece ficar incomodado com o vampiro ainda estar "obcecado" pela Caça-Vampiros. Talvez o fato de que Spike tenha ficado 148 dias do lado certo da cerca tenha provado algo que Xander faz questão de não querer saber — o amor do vampiro pela caçadora, afinal, é verdadeiro.

A própria Buffy, confusa desde que foi ressuscitada, isola Spike dos outros e o faz seu confidente, contando a ele que estivera no Céu e não no Inferno, como seus amigos pensavam. Ele é carinhoso e atencioso com ela, além de respeitoso — afinal, Buffy nunca dera nenhuma abertura para ele, um vampiro sem alma.

O tempo passa, e ele vê que suas chances com Buffy são nulas. Por mais que todos digam que ele não tem sentimentos, ele sofre por causa do amor não correspondido. Então finalmente ele diz a ela para deixá-lo em paz, que o deixe enterrar seu amor num buraco bem fundo. Diz ainda que Buffy "não precisa dizer nada." Mas ela, ao invés de deixá-lo em paz, o beija apaixonadamente, dando a Spike aquele fio de esperança pelo qual o vampiro tanto sonhou e até mesmo implorou um dia a ela que lhe desse.

Mais um beijo e Spike agora sabe que a Caça-Vampiros sente alguma coisa por ele, desejo, que seja. Ele cobra dela os beijos, ela reage mal, ele diz que um "homem" pode mudar — e ela joga na cara dele que ele é uma "coisa ruim, nojenta e sem alma." 

Ao mesmo tempo, ele descobre que seu chip não funciona mais em Buffy. A sua primeira reação é procurar um "Lanchinho Feliz Com Pernas" e testar o chip. Afinal, Buffy e todos outros insistem em dizer que ele é mau, então deve ser verdade. Na hora de pegar a garota e beber dela, Spike tem que convencer a si mesmo que pode fazer isto, que é o que sempre fez, que ele é um assassino.

Ele tenta morder a garota, mas não consegue, o chip está funcionando perfeitamente, o problema é com Buffy. A pergunta que não quer calar: teria ele matado aquela garota inocente? Se tivesse, sentiria alguma coisa parecida com remorso?

Bem, ele com certeza poderia tentar matar sua terceira Caça-Vampiros, mas não foi o que fez. Uma boa briga com Buffy seria um bom modo de estar próximo a ela e, inesperadamente, foi o que ele acabou conseguindo, só que a iniciativa foi da própria Caça-Vampiros e não dele.

A partir daí, começa um relacionamento que só vai deixar o vampiro confuso e deprimido, tirando algumas boas horas de prazer na cama. Ele quer conversar sobre a relação, ele quer saber o que é aquilo que ele e Buffy estão tendo, ele quer que ela seja sua garota, ele se magoa quando ela diz que ele é "apenas conveniente", quando ela se recusa a contar para seus amigos que eles estão juntos, mas Buffy só quer sexo, é a única maneira com que ela se comunica com ele.

Completamente sozinho e isolado das pessoas com quem passou o verão defendendo Sunnydale, Spike se contenta com as migalhas que Buffy lhe dá. Até apanhar cruelmente dela ele apanha, talvez porque ele sentisse que Buffy precisasse daquilo, por não estar em seu estado normal.

No meio do calvário da sexta temporada, entre outras coisas ele salva Xander de ser morto por um demônio (longe das vistas de Buffy, diga-se de passagem), defende a posição de Willow em não querer usar magia para que todos possam sair da casa enfeitiçada de Buffy e sente uma ponta de remorso quando nota que magoou a Caça-Vampiros levando uma garota com ele ao casamento de Xander e Anya.

Quanto ao seu relacionamento com Buffy, depois de ser pego com ovos de demônio escondidos em sua cripta (roteiro escrito especialmente para lembrar o quanto Spike é maaauuu), ela rompe com ele. Ele fica arrasado, mas aceita a situação, até que no casamento, Buffy diz a ele que vê-lo com outra "machuca" e mais tarde, depois de mandá-lo "seguir com a vida" mais uma vez, ela parece ficar magoadíssima por ele ter transado com Anya. 

Seu estado mental, a estas alturas, já está comprometido. Ele quer ser um homem, mas todos insistem em dizer que ele não é, é apenas uma coisa ruim sem alma. "Deve ter *restado* algum mal em mim, afinal de contas", diz ele a Dawn, depois da garota contar que todos estão bravos com o vampiro. Como sempre, seu refúgio é a bebida.

E é aqui que as coisa rolam morro abaixo, que Spike perde o controle de si mesmo e sai do caminho que tão penosamente tentava se manter — sem muita colaboração de Buffy e de seus amigos, diga-se de passagem (ao contrário, todos eles pareciam querer tirá-lo do bom caminho de propósito.)

Spike vai até Buffy se desculpar por ter transado com Anya — ele se *importa* com o que ela sente, não quer vê-la sofrer. Mas Buffy, ao invés de ser direta e firme, joga novamente aquela isca para que o cachorrinho continue nas redondezas e não vá procurar outro dono: "eu tenho sentimentos por você, tenho sim." Então Spike tenta quebrar a barreira entre os dois se comunicando com ela do jeito que ela sempre se comunicou com ele, através do contato físico. Quando Buffy o joga para longe e ele se dá conta do que estava fazendo, fica chocado.

De volta em sua cripta, ele revê as cenas do banheiro em sua cabeça e sente uma coisa que ele tem dificuldade em entender o que é: remorsos. Ele culpa o chip, diz que não pode ser nem monstro nem homem, que não é nada. E então vai embora, mas promete que vai voltar e que as coisas serão diferentes.

Com certeza, o vampiro que partiu de Sunnydale naquela noite, não é o mesmo que chegou derrubando a placa de boas vindas na entrada da cidade, anos atrás. Não é o mesmo que andava com Angelus e Darla e Dru, não é o mesmo que se juntou a Adam, não é o mesmo que sequestrou o médico da Iniciativa para que ele retirasse o seu chip, não é o mesmo que matou a dona da Magic Box.

O que eu assisti foi a lenta e gradual transformação de um ser *sem alma*, de cruel assassino sem sentimento nenhum, em alguém que, ainda sem alma, comete muitos erros, mas tem a consciência que os cometeu, além de demonstrar ter sentimentos, como amor e remorso.

Como disse o Juiz, há muita humanidade em Spike. E agora ele tem uma alma.

Gisele

PS. Em Angel em Quadrinhos, tornou-se oficial que Spike era bom ANTES mesmo de conseguir sua alma:

Eu era bom. Antes de lutar pela minha alma. Eu lutei contra o mal quando o mal estava dentro de mim. Ela me fez querer ser um homem melhor. O mal era forte mas o coração era mais forte ainda. Antes de ser oficial, antes do bendito vodu, eu era bom.

Spike fala isso logo após ter sua alma roubada! (Spike: Stranger Things)



 
HOME