Angel

In the Dark
 

Eu sou o Big Bad!

Em 1999, [Oz] visita Angel em Los Angeles e entrega a ele a [Gema de Amara], um anel que dá proteção total aos vampiros. [Doyle] quer que Angel o use, mas o vampiro prefere escondê-lo em um lugar seguro. 

Spike, que tinha achado o anel em Sunnydale e depois perdido para Buffy (Buffy/The Harsh Light of Day), vai para Los Angeles atrás da jóia.

Chegando na cidade dos anjos, Spike observa do alto de um telhado seu arqui-rival Angel, que acabou de salvar uma donzela em perigo. Spike não perde a oportunidade e faz sua engraçadíssima versão da cena que acontece em seguida ao resgate:
 

Spike/Rachel: Como posso agradecer a você, misterioso pedaço da noite todo vestido de preto?
Spike/Angel: Não é preciso, garotinha, suas lágrimas de gratidão são suficientes para mim. Sabe, eu já fui um vampiro muito mau. Mas o amor e uma desagradável maldição deixaram-me sem meus caninos pontudos. Agora, sou apenas um grande e fofo filhotinho com dentes ruins.

Rachel se aproxima de Angel e ele se afasta, como que dizendo para ela ficar longe dele

Spike/Angel: Não, o cabelo não! O cabelo nunca!
Spike/Rachel: Mas deve haver algum modo de mostrar o quanto eu estou agradecida.
Spike/Angel: Não, ajudar àqueles em necessidade é o meu trabalho — além disto, lidar com uma boa quantidade de tensão sexual e saltitar por aí como um grande maricas é realmente agradecimento suficiente!
Spike/Rachel: Eu entendo. Tenho um sobrinho que é gay, então...
Spike/Angel: Não diga mais nada. O mal ainda está por aí! E estou quase sem aquele gel para cabelo de que gosto tanto... Rápido, para o Angel-móvel, para longe!

Depois da imitação, Spike conclui

Spike: Continue. Banque o grande, robusto herói enquanto pode. Você tem algumas surpresas em seu caminho... o anel de Amara, uma visita do seu antigo camarada Spike e — é, sim — sua medonha, horrível morte.

Mais tarde, Spike ataca Angel quando este está se dirigindo para seu carro, estacionado numa garagem subterrânea; os dois lutam, mas quando Cordelia e Doyle aparecem no pedaço, Spike vai embora:
 

Spike: Angel. Acredito que você está com uma coisa que estou procurando — uma bugigangazinha brilhante?
Angel: Melhor ir para casa, Spike. A Gma de Amara fica comigo.
Spike: Por quê? Porque você é um vampiro detetive agora? Vampiro vaqueiro? Vampiro bombeiro? Oh, vampiro bailarino.

Enquanto lutam, Angel não perde a oportunidade de questionar Spike

Angel: Nós lutamos por ele, é? Esta é a sua grande estratégia para conseguir o anel de volta?
Spike: Ei, eu tinha um plano!
Angel: Você? Um plano?
Spike: Um bom plano. Inteligente. Cuidadosamente bolado. Mas eu cansei. Todo aquele espiar, esperar, minhas pernas começaram a ficar com câimbras. Já chega de papo-furado. Apenas me diga onde o maldito anel está.
Angel: Ele não vai combinar com a sua roupa.

Cordelia e Doyle chegam

Spike: Cordelia. Você está de arrasar. Perdeu peso?
Cordy: Sim, tem uma academia de ginástica ótima perto- ei!
Spike: Eu vou conseguir aquele anel. Isto não estará acabado até que um de nós vire uma pilha de pó, cara.

Depois de falhar da primeira vez, Spike bola um plano; ele arma uma cilada para o seu rival com alma — deixando-se ser pego por Angel mordendo uma mulher num beco escuro e, com a ajuda de outro vampiro, sequestra-o:

Angel: Deixe-a ir!

Spike: Já disseram a você que você é um grande estraga-prazeres, cara?

Spike foge e Angel vai atrás dele, até que Spike acaba num beco sem saída

Spike: Me pegou direitinho, [Chapéu Branco]. Acho que não há nada que eu possa fazer agora, além de ir quietinho e pagar meu débito com a sociedade.
Angel: Você acha que pode vir para a minha cidade e aprontar? Você nunca aprende, Spike.
Spike: Talvez eu aprenda devagar...

Angel é pego de surpresa — um outro vampiro vem por trás, joga uma corrente em seu pescoço e o derruba no chão

Spike: Mas no final eu aprendo.

Angel é levado para um galpão abandonado, onde passa a ser torturado por Marcus, um vampiro sádico contratado por Spike:
 

Spike: Marcus é um perito. Alguns dizem artista, mas eu nunca gostei de rótulos. Ele é o rei da tortura, é sim. Humanos, demônios, políticos, não faz diferença. Alguns dizem que ele inventou muito dos clássicos, mas ele não quer me contar quais. Por debaixo da aparência extrovertida, você descobre que ele é muito tímido. Exceto com crianças, não é Marcus? Bem, gosta de comê-las. E fazer outras coisas sujas.

Marcus, antes de começar a tortura, "examina" sua vítima

Marcus: Ele conheceu o amor. 
Spike: É, e com uma Caça-Vampiros, não menos. Isto é que é perversão.
Marcus: E ele tem uma alma. 
Spike: Certo, vampiro com alma. Amaldiçoado para caminhar sobre a terra tentando fazer o bem. Isto não vai ser um problema, vai?
Marcus: Pelo contrário. Criaturas com alma tem muita coisa a perder.
Spike: Almas, dedos das mãos, dedos dos pés... Vamos picar, não vamos? Eu quero meu maldito anel!

A tortura começa, Angel grita de dor quando coisas pontudas são enfiadas em sua carne por Marcus; Spike observa

Angel: Você é um idiota, Spike.
Spike: Você acha? Porque não sou eu que está acorrentado ao teto, com ferros quentes enfiados na minha carne. 
Angel: Você contratou um vampiro. O que você acha que ele vai fazer com o anel quando ele o encontrar? Entregá-lo a você?

Como não podia deixar de acontecer, o nome de Buffy é trazido à tona

Spike: Oh, bom Deus, por que não pensei...? Ei, espere um minuto, eu pensei. Contratei um cara que não se importa com o anel ou qualquer outra coisa nesta terra verde de Deus, exceto com cortar pessoas pedacinho por pedacinho. Isto é chamado vício, Angel. Nós todos temos algum. Acredito que o eu é chamado Vagabundy, A Caça-Vampiros. Falando na Buffyzinha, Eu a vi recentemente. Seu nome não foi citado. Ela estava muito ocupada pulando no colo do primeiro imbecil que apareceu. Cara bonitão — a usou desavergonhadamente. Ela fica tão bonitinha quando está magoada, não fica?
Angel: Acho que ela fica mais bonita quando está surrando você.

Enquanto Angel é torturado, Spike vai até a casa dele procurar o anel, sem sucesso. O vampiro então procura Doyle e Cordelia e diz que libertará Angel em troca do anel. Os dois amigos de Angel conseguem achar a Gema de Amara nos túneis por onde Angel costuma se movimentar durante o dia e vão encontrar Spike para fazer a troca. Eles exigem ver Angel e o vampiro os leva até o galpão onde ele está com Marcus. Cordelia joga o anel no chão, bem num lugar onde o sol está batendo e Spike não consegue pegá-lo; no mesmo instante, Oz arromba a porta do lugar com sua van e ameaça Spike com duas bestas, enquanto Cordy e Doyle levam Angel até o carro, são e salvo. Eles deixam o lugar e quando Spike finalmente pode voltar sua atenção para o anel, ele percebe, para seu desepero, que tanto a jóia quanto Marcus... desapareceram:
 

Spike: Onde está o anel? Bloody hell! Filho da puta! Eu pesquiso, eu escavo, luto com a Caça-Vampiros, venho para LA, contrato ajuda e o que eu ganho? Completamente ferrado, é isso! Bem, isto resolve as coisas. Chega de parceiros. De agora em diante, eu estarei sozinho. Um lobo solitário. Único sobrevivente. Cuidado, aí vai Spike! O pior-

No seu desespero, Spike não percebe que ficou sob uma réstia de luz solar e começa a fumegar

Spike: Ahh! Eu realmente espero que eles se matem!

Marcus, agora podendo andar sob a luz do sol, vai para a praia, onde está prestes a atacar um grupo de crianças. Cordelia, Doyle e Oz levam Angel até ele e o vampiro consegue jogar Marcus no mar, em baixo do pier, onde os dois lutam até que Angel consegue tirar o anel do dedo de Marcus e o mata. 

Angel passa o resto do dia aproveitando aquilo que há mais de 200 anos não pode fazer: andar na praia sob a luz do sol, apreciar o por do sol. Mas ao final do dia, ele destrói o anel, pois pensa que deve continuar nas trevas, protegendo as pessoas do Mal que elas nem sabem que existe.